Um associado da APMDFESP e outros seis policiais militares acusados de dormir durante o expediente tiveram a prisão preventiva revogada, na última sexta-feira (26), pelo Tribunal de Justiça Militar. Com a decisão, os PMs poderão responder ao processo em liberdade. Ler mais