Ao Presidente da APMDFESP,

Etiene da Silva JacintoQuando um familiar fica doente/dependente, a sensação é a de estar sozinho caminhando por um labirinto, mas encontramos pessoas que nos ajudam a tornar menos dolorosas e impactantes a nossa luta.

Na APMDFESP de Santo Amaro, encontrei essas pessoas, Ricieri e Carla, que assistiram minha dor, me ampararam não só com os insumos hospitalares que meu pai necessitava, mas com palavra amiga, carinho e com cafezinhos quentes. Sempre que ia retirar os produtos, eles estavam lá com uma ternura no olhar que aquecia meu coração e minha alma.

Sabia que eles sentiam realmente minha dor, pois sempre me atendiam com eficiência, empatia e calor humano, que chegava até aliviar a dor emocional e psicológica. Essas atitudes acendiam em mim o otimismo, a esperança e a paciência. Então posso dizer com experiência o quanto eles foram importantes. O trabalho humano feito por eles se tornou uma estrutura, de apoio, que me fez sentir que eles também estavam sofrendo comigo.

Hoje quase seis meses após o desencarne do meu pai, consigo agradecer o que fizeram por nós, quero que vocês e o mundo saibam o quanto vocês são ‘IMPORTANTES’ e agradeço esse calor humano não só em palavras, mas pedindo ao Senhor que abençoe essas criaturas maravilhosas que aqui estão para nos auxiliar. Amém.

Cb PM Etiene da Silva Jacinto, 2º Cia do 22ºBPM/M