Aliar técnicas da fisioterapia com o lúdico dos jogos eletrônicos pode acelerar o processo de reabilitação dos pacientes. Na APMDFESP, os profissionais realizam esse tipo de tratamento para beneficiar associados, como é o caso da menina Isabelle Ramos, de 10 anos, que tem paralisia cerebral.

Foto: Menina Isabelle e o fisioterapeuta Anderson Souza

A criança precisou fazer uma cirurgia no tendão do calcâneo esquerdo e, ao passar por uma avaliação na clínica da Entidade, o fisioterapeuta Anderson Souza observou que ela estava com dificuldade no equilíbrio estático e dinâmico. Após o diagnóstico, o profissional propôs um tratamento com o uso da realidade virtual para que a paciente pudesse obter resultados ao interagir por meio de estímulos visuais, táteis, auditivos e sensoriais.

“Acompanhei Isabelle durante quatro meses e, sem dúvida, a intervenção com o Console de Nintendo Wii através da plataforma de jogo ajudou bastante. Dei prioridade à atividades de MMII, muito utilizada no processo de reabilitação ortopédica e neurológica, pois segundo estudos proporcionam ao paciente o aumento do recrutamento muscular para a manutenção da postura em pé”, explicou o fisioterapeuta.

A mãe Kate Ramos acompanhou as sessões e aprovou o método utilizado para o processo de recuperação da filha. “O tratamento lúdico com uso do console Wii foi um grande diferencial, pois contribuiu com a melhora do equilíbrio da Isabelle. Minha filha se recuperou brincando e só tenho a agradecer o atendimento que ela recebeu na APMDFESP”, afirmou.

Veja uma das sessões: