A pequena Luíza Rodrigues, de 1 ano, recebeu da APMDFESP um parapodium, equipamento que vai auxiliá-la no tratamento. A criança, filha do associado CB PM Willians de Souza Guerreiro, sofre desde os 5 meses de Lisencefalia, uma má formação cerebral, que agravou para a Síndrome de West, um tipo de epilepsia que provoca atraso no desenvolvimento.

Pequena Luíza em dia de ajustes no Parapodium.

Ao saber que ia precisar comprar o aparelho para a filha, o associado ficou bastante preocupado por conta da situação financeira, mas lembrou da assistência que a Entidade deu para o avô e entrou em contato com o representante da APMDFESP Sul, Ricieri Guimarães. Após relatar o problema, o representante se disponibilizou para ajudar e o policial conseguiu apoio da Associação para a compra do equipamento.

“Falei com o senhor Ricieri, que me recebeu e acolheu muito bem. Após entrar em contato com a central, ele me informou que a APMDFESP não tinha esse aparelho disponível, mas que a Entidade iria providenciar e fazer a doação. Não pude esconder minha alegria em receber a notícia”, disse Willians.

O associado contou que ficou emocionado ao ver a criança em pé no aparelho (que ainda está sendo confeccionado) e agradeceu a ajuda que recebeu da Entidade.

“Senti uma emoção sem tamanho, pois não imaginaria que um dia a veria em pé. Mesmo utilizando esse aparelho, nosso coração se encheu de alegria e esperança, pois vimos que há a possibilidade de um dia ela ainda vir a andar. Enfim, quero agradecer imensamente o senhor Ricieri e toda a APMDFESP, que possui colaboradores muito dedicados, profissionais e com um excelente coração. Hoje a Associação é nossa segunda casa e somos totalmente agradecidos por tudo que faz por nós. Desde minha formação, vejo o quanto essa Entidade tem feito pelos policiais necessitados, mesmo para os que não eram sócios. Sonhamos intensamente com o impossível e a APMDFESP fornece a fé e esperança”, afirmou.

Na Sede, Luíza faz tratamento às quintas-feiras com a fisioterapeuta Michelle Donina.