Aline Pinho

A vida da associada Cabo PM Alessandra Laurenzano ganhou novo significado quando deu à luz gêmeas, uma delas com paralisia cerebral. Ela só soube do diagnóstico da filha 5 meses após o nascimento, em 2015. Carolina Spinelli, que nasceu com a paralisia, e Luíza Spinelli, agora estão com 4 anos.

“Quando descobri que estava grávida, agradeci a Deus pela benção. Quando soube que eram dois bebês agradeci pela benção dobrada. Então, passei a pedir por saúde e perfeição. No entanto, ao saber do diagnóstico da Carol, me senti sem chão, perdida. Foi então que tive uma luz, um horizonte que se chama APMDFESP”, relata Alessandra.

Na Associação, a pequena Carol é atendida por uma equipe multidisciplinar de saúde constituída por fisioterapeutas, terapeuta ocupacional e fonoaudióloga. As atividades para estimular o desenvolvimento de habilidades motoras e cognitivas da criança acontecem na Sede, às quartas e quintas-feiras.

Segundo a fonoaudióloga Regina Veleiro, que acompanha a paciente há um bom tempo, ela consegue responder com o olhar ao ser chamada pelo nome. “Carol é uma menina muito carinhosa. Emite alguns balbucios, sorriso e choro como forma de comunicação. Na terapia, fazemos estimulação das funções orais de mastigação, deglutição, vedamento labial para controle da sialorreia (saliva excessiva), além de estimular a parte cognitiva e de linguagem”, explica.

Carolina também já passou por atendimento psicológico e fez Equoterapia – terapia com cavalo. “Temos uma associação maravilhosa que nos acolhe, assiste e cuida. Desde que me associei, nunca me negaram nada. Minha filha tem um grupo profissional nessa Entidade que é nosso porto seguro”, avalia.

Além dos atendimentos com os profissionais, a mãe conta que a Associação também auxiliou a criança com materiais e equipamentos, como cadeira de rodas e de banho com adaptação, bomba de infusão, dieta, órteses (mãos e pés), cama hospitalar, colchão, seringas, fraldas, dentre outros.

“Somos muito bem atendidas e acolhidas por todos os setores e funcionários. Só tenho a agradecer a APMDFESP por tudo que fazem por nós e pelo que representam em nossas vidas”, afirma.