Aline Pinho

O presidente da Cooperativa, Major Tércio Bispo Molica, afirmou em reunião nessa terça-feira (24) que, após a documentação necessária ter sido entregue em junho, aguarda retorno do governador oficializando a iniciativa. Ele lembrou que o objetivo é contratar policiais militares deficientes físicos, com vínculo formal com o Estado, para voltar à ativa em atividades administrativas da PM, como monitoramento e atendimento ao cidadão.

A Cooperativa prestigia e valoriza a competência e a experiência daqueles que foram afastados da atividade policial militar por serem vítimas de um atentado ou fatalidade.

A criação dessa cooperativa atende uma antiga reivindicação de associados reformados por invalidez. A ideia é que as vagas sejam disponibilizadas próximas às residências dos interessados.