SUCESSO TOTAL NO GRANDE JANTAR DA SOLIDARIEDADE



Foi realizado na sexta-feira, 18 de maio, no Clube Atlético Juventus, o 2º Jantar Beneficente em Prol dos Heróis da Polícia Militar, um evento para arrecadar fundos para a APMDFESP, inciativa do Ten Cel Antônio Aparecido Delafina, Comandante do 21º BPM/M.





leia mais

RECEPÇÃO ADMIRÁVEL NO 35º BPM/M

 

Nossa equipe de divulgação teve uma recepção calorosa nesta quinta-feira, 03 de maio, na sede do 35º BPM/M (Itaquaquecetuba), onde os representantes Jair Carlos dos Santos Sá Teles e Thiago Bispo dos Santos, acompanhados do nosso Regional de Mogi das Cruzes, Claudinei Guimarães Simões, e de seu assistente administrativo Maurício Petronilho, fizeram uma palestra sobre a APMDFESP  e também sobre suas experiências de vida na Corporação, contando como foram para a reserva, após serem atingidos em serviço ou em razão dele.

Eles estavam  acompanhados do nosso Regional de Mogi das Cruzes, Claudinei Guimarães Simões, e de seu assistente administrativo Maurício Petronilho e foram recebidos pelo Comandante da Unidade, Tenente Coronel Caldeira. Também estiveram presentes ao encontro o Major Doll, o Capitão Calderaro, o Capitão Marco Antonio e o Capitão Cláudio.

Após explicar que a APMDFESP é uma entidade sem fins lucrativos, que não recebe incentivo de nenhum órgão governamental, custeada unicamente pela contribuição dos policiais militares associados, e que é a única entidade do gênero no mundo, com a qual o policial conta quando sofre algum tipo de sequela no seu trabalho ou no seu dia a dia pelo simples fato de pertencer à Corporação, vários membros do 35º BPM/M quiseram fazer parte do nosso quadro associativo.

 

O MUNDO COM QUE A GENTE SONHOU

Manhã ensolarada de outono, dia de semana dos mais normais, ela entra na sala do Departamento de Relações Públicas da APMDFESP mal conseguindo carregar o produto de sua grande obra. A mãe orgulhosa tentava ajudar, meio confusa entre segurar o cachorrinho da filha e mais o que ela trazia.

Por iniciativa própria, Kemely começou a juntar, desde janeiro deste ano, lacres de alumínio que arrecadava nas reuniões de família e guardou tudo em garrafas pet. Conseguiu encher três garrafas e meia. Tinha ouvido falar que esse material poderia ser trocado por cadeiras de rodas. Então pediu à mãe que a trouxesse aqui, onde também ouvir dizer que nós cuidávamos de policiais militares que ficavam cadeirantes quando eram atingidos em serviço ou em razão dele.

Kemely não tinha ideia de quanto deveria arrecadar para conseguir uma cadeira de rodas para nossos associados. Mas achou que já tinha o bastante e veio, orgulhosa, trazer o resultado de seu esforço. Também tem seu mérito a mãe da menina, que não desestimulou a iniciativa da filha.

De fato, faltava um pouco para fazermos a troca, mas isso é o que menos importa. Se algumas “Kemelys” tomassem essa e outras pequenas atitudes em prol de pessoas que nem conhecem, apenas com o intuito de fazer o bem, as quantidades necessárias sempre seriam atingidas, os menos favorecidos sempre seriam atendidos, as relações humanas seriam muito mais generosas, enfim, o mundo seria muito melhor. Quando Kemely atravessou a nossa porta, com aquele sorriso largo, acreditando de verdade que tinha feito uma grande coisa – e realmente o fez – todos aqui passamos a crer que o mundo com o qual nós sonhamos pode um dia existir. Ainda que, às vezes, carregar tudo sozinha – e mais o cachorro – possa ficar um pouquinho difícil…