“Eu pedia toda noite para morrer”, comentou Antonio Figueiredo, vice-presidente da APMDFESP, ao Assembleia Segurança, sobre o período após ter se tornado paraplégico depois de ser alvejado em uma troca de tiros; assista ao programa na íntegra

 

Carla Francisco,  Coronel Camilo, Antonio Figueiredo e Fernando Capano durante gravação do programa Assembleia Segurança, da TV Alesp

 

Antônio Figueiredo (vice-presidente da APMDFESP), Fernando Capano (advogado responsável pelo departamento jurídico) e o deputado estadual Coronel Camilo  foram os entrevistados da jornalista Carla Francisco, no programa Assembleia Segurança, na  TV  Assembleia Legislativa de São Paulo, gravado na última terça-feira (13/06),  já disponível no youtube e que pode ser visto na íntegra clicando abaixo.

Com  duração de uma hora, o programa abordou a atuação da APMDFESP junto aos policiais militares e seus familiares. Antonio Figueiredo deu detalhes da ocorrência em que foi alvejado com um tiro que o deixou paraplégico,  em 1989.  O vice-presidente lembrou da fase de adaptação sem receber salário por três meses, tendo esposa, dois filhos (de um ano e meio e outro recém-nascido) e muitas contas atrasadas,  incluindo o aluguel.

“Eu pedia toda noite para morrer”, contou ele sobre seu desespero. De acordo com o vice-presidente, naquele momento foram os policiais militares amigos lhe deram apoio e  forças para prosseguir. E depois conheceu o trabalho da APMDFESP. “Consegui ter dignidade. Se não fosse a Associação, eu estaria no farol vendendo balas hoje”. concluiu.

O Dr. Fernando Capano falou sobre a atuação da APMDFESP na área jurídica, defendendo os interesses de todos os policiais militares associados e seus dependentes. Ele recordou também do caso de policiais mortos fora do horário de serviço apenas por serem identificados como policiais.O advogado também abordou a  necessidade de mudanças nas leis que possam possibilitar que os PMs portadores de deficiência sejam novamente admitidos na corporação e possam contar com a garantia de progressão na carreira.

O Coronel Camilo falou de sua atuação como deputado na Assembleia Legislativa para melhorar a vida do policial militar portador de deficiência.   E lembrou também da proximidade com a instituição, da qual e sócio, e de uma experiência pessoal: sua esposa teve um problema de saúde, ficou internada e, depois,  precisou de cadeira de rodas, andador e outros equipamentos, sendo prontamente atendida pela APMDFESP. O deputado recordou  que  quando era comandante-geral da Policia Militar fez a doação de um ônibus com rampas para a entidade e que autorizou viaturas orgânicas a transportarem policiais militares para fazer fisioterapia. 

 

Leia também:

Leia entrevista do único PM inocentado no julgamento dos acusados de assassinato após perseguição no Butantã; Soldado foi defendido por advogados da APMDFESP

Processo de PM que atirou em camelô na Lapa é arquivado; policial foi defendido pelos advogados da APMDFESP

Conheça os benefícios do departamento jurídico da APMDFESP que  se estendem aos dependentes do associado

Balanço Geral, da Record, exibe matéria sobre bombeiro associado da APMDFESP que foi infectado por bactéria em resgate de corpos

Advogados da APMDFESP ganham processo e Cabo PM acusado de duplo homicídio é inocentado; a pena seria de 40 anos caso fosse considerado culpado pelo júri

Jurídico ganha ação do GAP para associado: ” Valeu muito a pena ver reconhecido um direito que é nosso”

Saiba como entrar com ação individual para receber recomposição das perdas havidas com a conversão da URV

Conheça todos os benefícios que a APMDFESP oferece aos associados

 

 

Associado com quadro de tetraplegia consegue melhoras funcionais após programa de reabilitação

Dr. Daniel Borro e a fonoaudióloga Regina Veleiro fazem parte da equipe de profissionais da APMDFESP e acompanharam a evolução do Soldado PM Thiago Bispo da Silva

“Três anos atrás, quando estava com 26 anos, sofri  uma tentativa de homicídio em horário de folga por ser policial. Estava no meu carro, o bandido veio na porta, disparou seis vezes e foi embora. Um dos tiros acertou meu pescoço, afetou minha cervical e perfurou meu pulmão. Estava na PM havia quatro anos. Fiquei 60 dias internado. E desde o início a associação deu apoio para minha família.

Meu filho, com sete anos na época, precisou de suporte psicológico. Quando saí do hospital me ofereceram tudo o que eu precisava: cadeira de rodas, de banho, sondas, todo o material para curativo. Fiz a reabilitação com fisioterapeuta, fonoaudióloga, tive sessões de equoterapia. E fui recebendo da instituição informações sobre como seria minha vida a partir dali, os maiores obstáculos, as adaptações.

Isso foi muito importante naquele momento: o presidente e os diretores me estimulando a tocar a vida dali para a frente. Eles me passaram a experiência deles nesse período de transição e de como enfrentar os obstáculos.  Um tempo depois acabei entrando na equipe de tênis de mesa da associação.

Ainda continuo fazendo fisioterapia uma vez por semana. Estava na condição de tetraplegia irreversível e não era esperado uma melhora. Fiquei de três a quatro meses assim. Mas aqui conseguiram melhorar meu quadro. O fisioterapeuta responsável foi o Dr. Daniel Borro. O trabalho dele é ótimo. Aliás, de toda a equipe. Como fiz traqueostomia, tive de fortalecer a parte pulmonar e passei pela fonoaudióloga, Dra. Regina Veleiro. E, ainda hoje, mensalmente, recebo sondas, gazes, luvas, bolsas coletoras.

As pessoas precisar reavaliar a questão de se associar.  Quando o PM realmente precisa é a única associação que  tem o compromisso de ajudar e não apenas o sócio, mas toda a família.”

 

Soldado PM Thiago Bispo da Silva

 

 

 

 

APMDFESP realiza Assembleia Geral na Sede; balanço anual do exercício de 2016 é aprovado

Major PM Tercio Bispo Molica deu início à assembleia realizada na sede, na quarta-feira. Compuseram a mesa Wladimir Menezes (esq.), Leonardo Passafaro, Antonio Figueiredo e Aparecido Gonçalves de Oliveira

Com as presenças de Tercio Bispo Molica (presidente do Conselho Deliberativo), Antonio Figueiredo (vice-presidente), Aparecido Gonçalves de Oliveira (presidente do Conselho Fiscal), Wladimir Garcia de Menezes (secretário-geral), Leonardo Passafaro e Ricardo Ruiz Garcia (sócios da Capano, Passafaro Advogados Associados, escritório responsável pelo departamento jurídico da APMDFESP) foi realizado a Assembleia Geral Extraordinária, na quarta-feira (14/06). A reunião é prevista pelo estatuto e teve o objetivo de apreciar, discutir e aprovar o balanço anual  de 2016.  O presidente Elcio Inocente precisou se ausentar para realização de exames médicos, mas elaborou documento que foi lido por Antonio Figueiredo no qual discorreu sobre a ampla atuação da APMDFESP no último ano.

Também estiveram presentes outros membros da diretoria: Romildo Pytel (diretor jurídico), Renato Saletti Santos (secretário-adjunto). Edson Rodrigues dos Santos (diretor financeiro-adjunto), Roberto Batista Carneiro (diretor social), Alexandre Miragaia de Araújo (diretor de patrimônio), Elisa Guskuma Henna (diretora de Esporte, Cultura e Lazer), Mario Zan Castro Correa (diretor do Interior, Regionais e Representações). Os representantes das regionais também compareceram à reunião assim como associados.

O início da reunião começou com o Dr. Leonardo Passafaro discorrendo sobre a atuação do Departamento Jurídico. Em seguida, o Dr. Ricardo Ruiz Garcia falou sobre o número de atendimentos de associados da APMDFESP. O escritório Capano, Passafaro Advogados Associados, em 2016,  fez  5055 atendimentos, com 354 novas demandas propostas em 2016. Como lembrou o Major Molica, esse número significa quase uma ação ajuizada na Justiça em defesa dos associados, por dia.

Depois, os diretores da entidade falaram sobre suas áreas de atuação.  “A assembleia transcorreu de forma tranquila, com livre manifestação de todos os presentes e com a aprovação do balancete anual de 2016”, concluiu o vice-presidente.

O Dr. Ricardo Ruiz deu detalhes sobre a atuação do Departamento Jurídico

Claudemir Roque Gomes (representante de Campinas, à esquerda.) aolado de Romildo Pytel

 

Associados, representantes, diretores estiveram presentes na assembleia que aprovou o balancete de 2016

Ricardo Barssuglio, Roberto Carneiro, Edson Rodrigues dos Santos e Renato Saletti Santos