APMDFESP participa de encontro que discutiu segurança pública e a situação da polícia brasileira

 

(Foto: Paulo Lopes - Sindpolf/SP) Elcio Inocente (esq.) e Romildo Pytel (centro) durante a reunião

(Foto: Paulo Lopes – Sindpolf/SP) Elcio Inocente (esq.) e Romildo Pytel (centro) durante a reunião

Elcio Inocente e Romildo Pytel, respectivamente presidente e diretor jurídico da APMDFESP, participaram do encontro  organizado pelo SINDPOLF/SP (Sindicato dos Servidores Públicos Civis Federais do Departamento de Polícia Federal no Estado de São Paulo). O evento aconteceu no auditório do Sindicato dos Trabalhadores em Processamento de Dados e Tecnologia da Informação do Estado de São Paulo (SINDPD), no último dia 27. O objetivo da reunião foi discutir temas relacionados à segurança pública. Estiveram presentes 17 entidades representativas da segurança pública no Estado de São Paulo.

“Foi muito produtivo porque com esses encontro discutimos a segurança pública em nível federal. Sempre fizemos isso no nível estadual. Mas os problemas em ambos são muito semelhantes”, comentou Elcio Inocente.

Para o presidente do SINDPOLF/SP, Alexandre Santana Sally, essa primeira reunião teve um caráter informal para que todos pudessem se conhecer.  “A ideia é relacionar  os problemas ligados direta e indiretamente ao trabalho de todas as polícias e fomentar soluções que resolvam o estado de calamidade em que se encontra a segurança pública brasileira”, disse.

Cada presidente e representante expôs a situação de sua categoria e o que acredita interferir em um sistema de segurança adequado para a população.  Houve unanimidade na questão da desvalorização dos policiais e ausência de apoio de governos e  políticos para mudar o atual sistema. Muitos lamentaram a falta de abertura para que as categorias apresentem aos governantes e os que fazem a gestão da segurança, possibilidades de discussões e soluções.

O grupo decidiu pela continuidade das reuniões em locais que serão cedidos pelas instituições e a criação de uma pauta comum.  Os temas discutidos e os resultados dos próximos encontros deverão conduzir o planejamento do “I Fórum de Debates de Instituições Relacionadas à Segurança Pública”, composto por aqueles que atuam direta e indiretamente na área. Também haverá a formação de uma agenda positiva.

Entre os que participaram desse primeiro encontro estavam: Jarim Lopes Roseira (presidente da Internacional Police Association),  Antônio Carlos do Amaral Duca (vice-presidente da Associação de Cabos e Soldados da Polícia Militar do Estado de São Paulo), Josenei Santos Gonçalves e Vítor Fernandes Moreira (diretores da Associação dos Oficiais, Praças e Pensionistas da Polícia Militar do Estado de São Paulo), Felipe Locke Cavalcanti (presidente da Associação Paulista do Ministério Público, que também representou Dra. Norma Angélica Cavalcanti, presidente da Associação Nacional dos Membros do Ministério Público).

(Foto: Paulo Lopes - Sindpolf/SP) Alexandre Santana Sally (em pé, de terno), presidente do SINDPOLF/SP, entidade organizadora do evento

(Foto: Paulo Lopes – Sindpolf/SP) Alexandre Santana Sally (em pé, de terno), presidente do SINDPOLF/SP, entidade organizadora do evento

 

 

(Fonte: Assessoria de Comunicação – SINDPOLF/SP)

 

SBT Brasil: matéria mostra como agem matadores de PMs em São Paulo

sbt bala

(Foto: Reprodução/ SBT Brasil)

A matéria do SBT Brasil aborda assassinatos de policiais militares. De acordo com o jornalista Peterson  Izidoro,  em janeiro e fevereiro desse ano,  22  PMs foram mortos e outros 29 sofreram tentativa de assassinato no Estado de São Paulo.  Segundo a reportagem,  109 policiais militares morreram ano passado,  vítimas de ladrões e assassinos ligados ao crime organizado.

Veja a matéria na íntegra clicando aqui. 

PEC 300: colunista da Veja critica presidente da Câmara dos Deputados e diz que ele faz de bobos “centenas de milhares de policiais militares e bombeiros”

O jornalista Ricardo Setti, em sua coluna no site da revista Veja, em 28/01/2014, escreveu sobre a expectativa de policiais militares e bombeiros pela votação da PEC 300. O colunista inicia o texto com críticas. “É espantoso ver mais um presidente da Câmara dos Deputados – no caso Henrique Alves (PMDB-RN) — fazer de bobos centenas de milhares de policiais militares e de bombeiros em todo o país que esperam inutilmente pela votação da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) nº 300, de 2008, que cria um piso salarial para as duas categorias.”

O jornalista lembra que todos os que estavam presentes na Câmara de Deputados votaram à favor da proposta em primeiro turno de votação, em julho de 2010. Foram  349 votos a zero. Michel Temer era o presidente da Câmara. Em seguida,  o cargo foi ocupado por Marco Maia e, depois, Henrique Alves e ainda  não aconteceu a votação em segundo turno. Setti critica também os membros da Câmara por assumirem compromisso com esses profissionais e deixá-los esse tempo esperando a possibilidade de melhorarem seus salários.

Leia o texto na íntegra  no link abaixo:

PEC 300: Presidente da Câmara, Henrique Alves, é o terceiro ocupante do cargo que faz de bobo centenas de milhares de policiais militares e bombeiros

Veja também:

APMDFESP pede instauração de inquérito civil no Ministério Público do Trabalho para analisar escala de serviço de PMs

APMDFESP participou de manifestação que parou Marginal Tietê nesta quarta-feira (05/02/2014)

Autoridades prestigiam aniversário de 21 anos da APMDFESP

Novos associados estão automaticamente representados em ação para receber perdas por conversão da URV