Home Aumenta o número de policiais militares que procuram atendimento dos psicólogos da APMDFESP
« Home »
17 jul, 2017 Comments: 0

Aumenta o número de policiais militares que procuram atendimento dos psicólogos da APMDFESP

Tags
Plurk
Share this

A associação dos Policiais Militares Portadores de Deficiência do Estado de São Paulo (APMDFESP) é bastante reconhecida por seu trabalho de reabilitação física. Mas a entidade também possui em seu quadro psicólogos que atendem os policiais militares e seus familiares e o número de atendimentos feitos por esses profissionais aumentou de 2.330 (em 2013) para 3.928 (2016).

O trabalho dessa equipe formada por dez psicólogos consiste, entre outras coisas, em auxiliar o paciente a lidar com seus limites, recuperar a autoestima e melhorar seus relacionamentos e qualidade de vida. O atendimento mais procurado é o individual, cuja maioria dos pacientes consiste de dependentes. Mas, de acordo com Luciana Vazquez, psicóloga e supervisora do Setor de Psicologia da APMDFESP, de cinco anos para cá os policiais militares têm mostrado mais preocupação com a saúde psíquica e hoje correspondem a quase 20% do total de pacientes.

Todos os psicólogos da APMDFESP são civis. “Tentamos acolher o Policial Militar para que consiga falar com liberdade sobre todas as questões que o trazem até aqui”, comenta Luciana Vazquez, que é Supervisora de Psicologia e trabalha há 14 anos na instituição.

Outros atendimentos

Grupo com adolescentes: formado por jovens e o propósito é ajudar os participantes a lidar com conflitos familiares, questões de autoestima e temas específicos da idade.

Grupo com crianças: o foco é a interação, socialização, trabalhar conflitos. Normalmente, nesse grupo há o acompanhamento de psicopedagoga.

Grupo cognitivo: composto por pacientes que tiveram afasia (dificuldade na fala decorrente de Acidente Vascular Cerebral). Trabalha a memória e comunicação.

Grupo de idosos: fazem atividades motoras nas quais participam, além dos psicólogos, fisioterapeuta, terapeuta ocupacional e fonoaudióloga. São realizadas atividades motoras e de interação social.

Grupo de mulheres da terceira idade: acompanhamento de terapeutas que abordam e discutem questões emocionais das idosas.

Terapia de casal: atendimento de casais com conflitos no matrimônio.

Serviço: O policial militar não precisa de encaminhamento médico para se consultar com os psicólogos da APMDFESP, apenas seus dependentes. Os atendimentos no setor de psicologia da sede são realizados de segunda a sexta, das 8h as 17h. Nas representações, há a necessidade de checar o horário.

Leia também:

“Não gostaríamos de ver nossos heróis sendo enterrados com a bandeira do Estado de São Paulo sobre seu caixão e já, no dia seguinte, o Estado abandonar de forma integral aquela família que perdeu sua referência”, disse Elcio Inocente,  em debate na Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado; veja o discurso 

“Eu pedia toda noite para morrer”, comentou Antonio Figueiredo, vice-presidente da APMDFESP, ao Assembleia Segurança, sobre o período após ter se tornado paraplégico depois de ser alvejado em uma troca de tiros; assista ao programa na íntegra

Jurídico ganha, em primeira instância, ação para restituição integral de gastos com educação

Controvérsia no TJM sobre arquivamento de processos que investigam mortes em decorrência de atividade policial gera alerta de advogados para que associados busquem sempre apoio jurídico da entidade

Leia entrevista do único PM inocentado no julgamento dos acusados de assassinato após perseguição no Butantã; Soldado foi defendido por advogados da APMDFESP

Processo de PM que atirou em camelô na Lapa é arquivado; policial foi defendido pelos advogados da APMDFESP

Conheça os benefícios do departamento jurídico da APMDFESP que  se estendem aos dependentes do associado

Balanço Geral, da Record, exibe matéria sobre bombeiro associado da APMDFESP que foi infectado por bactéria em resgate de corpos

Advogados da APMDFESP ganham processo e Cabo PM acusado de duplo homicídio é inocentado; a pena seria de 40 anos caso fosse considerado culpado pelo júri

Jurídico ganha ação do GAP para associado: ” Valeu muito a pena ver reconhecido um direito que é nosso”

Saiba como entrar com ação individual para receber recomposição das perdas havidas com a conversão da URV

Conheça todos os benefícios que a APMDFESP oferece aos associados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *