APMDFESP realiza Assembleia Geral na Sede; balanço anual do exercício de 2016 é aprovado

Major PM Tercio Bispo Molica deu início à assembleia realizada na sede, na quarta-feira. Compuseram a mesa Wladimir Menezes (esq.), Leonardo Passafaro, Antonio Figueiredo e Aparecido Gonçalves de Oliveira

Com as presenças de Tercio Bispo Molica (presidente do Conselho Deliberativo), Antonio Figueiredo (vice-presidente), Aparecido Gonçalves de Oliveira (presidente do Conselho Fiscal), Wladimir Garcia de Menezes (secretário-geral), Leonardo Passafaro e Ricardo Ruiz Garcia (sócios da Capano, Passafaro Advogados Associados, escritório responsável pelo departamento jurídico da APMDFESP) foi realizado a Assembleia Geral Extraordinária, na quarta-feira (14/06). A reunião é prevista pelo estatuto e teve o objetivo de apreciar, discutir e aprovar o balanço anual  de 2016.  O presidente Elcio Inocente precisou se ausentar para realização de exames médicos, mas elaborou documento que foi lido por Antonio Figueiredo no qual discorreu sobre a ampla atuação da APMDFESP no último ano.

Também estiveram presentes outros membros da diretoria: Romildo Pytel (diretor jurídico), Renato Saletti Santos (secretário-adjunto). Edson Rodrigues dos Santos (diretor financeiro-adjunto), Roberto Batista Carneiro (diretor social), Alexandre Miragaia de Araújo (diretor de patrimônio), Elisa Guskuma Henna (diretora de Esporte, Cultura e Lazer), Mario Zan Castro Correa (diretor do Interior, Regionais e Representações). Os representantes das regionais também compareceram à reunião assim como associados.

O início da reunião começou com o Dr. Leonardo Passafaro discorrendo sobre a atuação do Departamento Jurídico. Em seguida, o Dr. Ricardo Ruiz Garcia falou sobre o número de atendimentos de associados da APMDFESP. O escritório Capano, Passafaro Advogados Associados, em 2016,  fez  5055 atendimentos, com 354 novas demandas propostas em 2016. Como lembrou o Major Molica, esse número significa quase uma ação ajuizada na Justiça em defesa dos associados, por dia.

Depois, os diretores da entidade falaram sobre suas áreas de atuação.  “A assembleia transcorreu de forma tranquila, com livre manifestação de todos os presentes e com a aprovação do balancete anual de 2016”, concluiu o vice-presidente.

O Dr. Ricardo Ruiz deu detalhes sobre a atuação do Departamento Jurídico

Claudemir Roque Gomes (representante de Campinas, à esquerda.) aolado de Romildo Pytel

 

Associados, representantes, diretores estiveram presentes na assembleia que aprovou o balancete de 2016

Ricardo Barssuglio, Roberto Carneiro, Edson Rodrigues dos Santos e Renato Saletti Santos

 

Tenente-Coronel PM Delafina, Comandante do 21° BPM/M, entrega para APMDFESP cheque de R$ 30 mil arrecadados em jantar beneficente

A diretoria da APMDFESP recebeu o cheque das mãos do Tenente-Coronel Delafina

A APMDFESP viveu momentos de muita alegria nessa terça-feira (30/05) com a visita do Tenente-Coronel PM Delafina (Comandante do 21° BPM/M), da Major PM Denise e um grupo de 10 policiais militares pertencentes ao Batalhão,  que vieram à sede entregar o cheque de R$ 30 mil. A quantia foi arrecadada no jantar beneficente realizado no dia 16 de maio, no Buffet Tulipa.

“Para a nós foi muito gratificante poder, com o jantar,  propiciar apoio financeiro. Mas, principalmente, o reconhecimento desse trabalho feito pela entidade. E também tivemos a possibilidade de mostrar à sociedade o que pode vir a acontecer com nossos PMs. Essa foi uma pequena homenagem à APMDFESP. É o mínimo que podemos fazer”, disse o Tenente-Coronel Delafina.

“Ficamos surpresos pois pensamos em 250 convidados. Mas quando as pessoas souberam qual era a finalidade,  esse número acabou dobrando.E já tem gente perguntando quando será o próximo jantar. Foi surpreendente. A maioria dos convidados pertencia à sociedade civil. Acho que isso foi o ponto alto”, analisou a Major Denise.

“Nós, Policiais Militares,  estamos preparados para ajudar as pessoas e não o contrário.  Quando nos vemos no outro lado, a adaptação é difícil. Mas somos PMs em essência e o espírito de ajudar o próximo está em nosso sangue. Nesse momento economicamente tão difícil para todos os brasileiros, esse cheque é muito bem-vindo para que possamos prosseguir ajudando tantos irmãos de farda que nos procuram. Não tenho palavras suficientes para agradecer ao Tenente-Coronel Delafina, a Major Denise e todos os companheiros do Batalhão e da comunidade que se envolveram para nos auxiliar”, disse o presidente Elcio Inocente.

O Tenente-Coronel Delafina visitou as dependências da APMDFESP acompanhado pela Major Denise. Na foto, Romildo Pytel (diretor jurídico), Elcio Inocente (presidente) e o advogado Luiz Gralho

 

Durante a visita, o grupo posou para fotos com os fisioterapeutas do Departamento de Clínicas e Reabilitação

Prevenção do Suicídio é tema de seminário na PF; 26 policiais federais se mataram nos últimos cinco anos

O Sindicato dos Servidores da Polícia Federal no Estado de São Paulo (SINDPOLF/SP), em parceria com a Superintendência Regional da Polícia Federal no Estado de São Paulo (SR/PF/SP) e com o Centro de Valorização da Vida (CVV), realizará o “1º Encontro de Prevenção do Suicídio”, no auditório da PF, das 9 às 12 horas. Dividido em duas sextas (17 e 24 de Março,  respectivamente), o evento contará com a participação de profissionais conhecidos e respeitados. O objetivo do evento é abordar o assunto abertamente, com informações de especialistas que podem ajudar na prevenção.

Pesquisa da Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef) aponta que o número de suicídios na PF alcançou a triste marca de 26 policiais em cinco anos. Proporcionalmente, segundo a OMS, em grupos de 100.000 habitantes, o Brasil ocupa o 111º lugar no mundo, mas, tomando somente os casos da Polícia Federal, ela ocuparia a 11ª posição mundial e 3ª maior taxa das Américas. Se considerarmos somente os servidores ativos, a posição seria a 7ª no mundo.

Por esse motivo, o SINDPOLF/SP entrou em contato com a Superintendência Regional da PF e com o CVV que, alarmados com a situação, apoiaram a iniciativa do Sindicato por um seminário que informe e oriente os colegas.

 Por que participar?

A informação é a verdadeira ferramenta de prevenção do suicídio. Quanto mais soubermos e identificarmos seus sinais, maior será a probabilidade de ajudarmos um colega, familiar ou até nós mesmos no tratamento de problemas psicoemocionais e resolução dos problemas.
Saiba mais neste link para matéria especial desenvolvida no PORTALSP.

 Sobre os palestrantes, temas e datas do Seminário:

Rodrigo Assumção

Formado em Medicina, possui três especializações: em Psiquiatria, em Hebiatria (alterações típicas da adolescência) e em Dependência Química. Formado também em Ciências da Religião, é autor de três livros. Desenvolve projetos na África com crianças carentes e também com dependentes químicos em Joinville/SC.

Tema:  “ Deus, uma terapia alternativa”.

 


Roberto Tonanni de Campos Mello

Médico psiquiatra, atua na Superintendência em São Paulo. Formado pela PUC Sorocaba, tem especialização em Saúde Pública pela Faculdade de Higiene e Saúde Pública da USP e também em psicanálise pelo Instituto Sedes Sapientiae.

Tema: “ P.I.C- Pergunte, Se Importe e Conduza”.

Marco Alexandre Franco Ribeiro

Formado em Medicina pela Unifesp, fez Psiquiatria e curso de especialização em Psicoterapia de Orientação Psicanalítica. Tem título de especialista em psiquiatria pela Associação Brasileira de Psiquiatria. É médico psiquiatra da Superintendência da Polícia Federal em São Paulo.

Tema: : “Noções gerais sobre Suicídio”.

 


Robert Gellert Paris Jr.

Presidente do Centro de Valorização da Vida (CVV), uma das entidades mais conhecidas na prevenção do suicídio. É também vice-presidente da ABEPS – Associação Brasileira para Estudos e Prevenção do Suicídio e diretor de Befrienders Worldwide.

Tema: “Falar é a melhor solução”.

 


Ruth Lasas Long

Psicóloga formada em 1982, pelo Instituto Paulista de Psicologia, com Especialização nas áreas de Avaliação Psicológica, Superação de Fobias e Medo de dirigir. Credenciada pela PF desde 1998 e pelo DETRAN de São Paulo desde 1996, atua como Professora de Avaliação Psicológica e Psicodiagnóstico no Curso de Pós Graduação da UNIP, Centro de Estudos Avançado do Trânsito (CEAT) e Grupo Desenvolver. Tambémé  credenciada pela Superintendência Regional da Polícia Federal em São Paulo.

Tema:  “A importância da avaliação psicológica na liberação da arma de fogo”

Fonte: SINDPOLF/SP