JANTAR BENEFICENTE EM PROL DA APMDFESP



Será realizado no próximo dia 18 de maio o jantar beneficente da APMDFESP para arrecadação de fundos, a fim de que a Entidade tenha condições de continuar prestando atendimento social aos associados, como doação de cestas básicas, materiais hospitalares (sondas, fraldas geriátricas, bolsas de colostomia, seringas, luvas, ataduras, etc.) uma vez que as mensalidades não conseguem cobrir todos esses custos.



A iniciativa de organizar esse evento – realizado pela primeira vez no ano passado – foi do Ten. Cel. PM Delafina, Comandante do 21º BPM/M, que com seu espírito solidário teve acesso aos custos mensais de nossa Associação e resolveu ajudar.



No ano passado, o jantar organizado para 500 pessoas foi um sucesso, e este ano o número de convites subiu para três mil, e será realizado no Esporte Clube Juventus. Mais informações com o departamento de Relações Públicas da APMDFESP no telefone 2262-9500, ramal 5.

ASSOCIADO ELOGIA COMPETÊNCIA DE NOSSO JURÍDICO

De: Emerson Campos Magno
Assunto: Elogio a Dra. Roselyn YanaguisawaBoa Tarde
Sou associado desta conceituada Associação e gostaria de elogiar a atuação da advogada Dra. Roselyn Yanaguisawa. Por duas ocasiões jurídicas pude contar com o profissionalismo da Dra Roselyn. No primeiro processo, ganhamos na primeira instância, e agora no segundo processo, ganhamos na primeira instância e estamos aguardando os próximos procedimentos. Mas gostaria de ressaltar que o sucesso dos meus processos só foi possível pela competência e qualificação da Dra. Roselyn, que nos atendeu com muita atenção e clareza. Muito obrigada a Associação por toda ação desenvolvida em prol de nós Policiais Militares e nossas famílias, muito obrigada Dra. Roselyn.

ASSOCIADO VOLTA A CAMINHAR GRAÇAS ÀS PRÓTESES OFERECIDAS PELA APMDFESP

 

Nosso Associado Sargento Prado, do 1° BPMM (inativo) gravou uma mensagem citando o trabalho da nossa

Representação na Zona Sul.

Obrigado Sargento Prado!!!!

A doação das duas próteses é graças ao nosso Quadro Associativo.

Obrigado Associados. Oferecer um benefício como esse só pode ser feito porque contamos com um Quadro

Associativo que acredita em nosso trabalho. Assista ao vídeo.

SOBREVIVENTE DE DUAS GUERRAS FAZ PALESTRA DE GRANDE IMPACTO NA APMDFESP

O combatente do exército norte-americano Timothy Payne, que lutou nas guerras no Iraque e do Afeganistão, fez uma palestra comovente e impactante na tarde desta sexta-feira, 20 de abril, na sede da APMDFESP.

O Sargento Timothy Payne serviu durante 11 anos no Exército dos Estados Unidos onde desempenhou diversas funções e foi para a reserva em fevereiro de 2014, após ter perdido os membros inferiores e danificado os superiores na explosão de uma mina terrestre.

Hoje ele é embaixador de veteranos de combate com deficiência e viaja o mundo para compartilhar valiosas lições aprendidas diretamente em combate, lesões de campo de batalha e o processo de recuperação.

O Sargento Payne contou sua experiência de militar arraigado unicamente aos valores aprendidos no exército americano. Ele  não acreditava em Deus, nunca tinha lido a Bíblia e nunca tinha rezado na vida.

Numa missão no Iraque, sua única preocupação era preservar o esquadrão que comandava, porque todos os outros líderes estavam perdendo muitos soldados. Foi a primeira vez que fez uma prece na vida, pedindo a Deus que poupasse seus subordinados, ainda que com o sacrifício da vida dele.

Naqueles dias ele matou um inimigo e sua consciência o atacava por isso. Foi então que ele começou uma batalha íntima com uma força interior que ele reconheceu como sendo Deus. No dia seguinte ele sofreu o acidente com a mina terrestre e acredita que isso foi uma forma de acerto de contas.

Sua recuperação física foi árdua: ele passou por 120 cirurgias, 100 transfusões de sangue e teve 7 paradas cardíacas. Desenvolveu dependência química por tomar mais de 30 medicamentos, usou drogas, perdeu a vontade de viver. Quando resolveu se voltar para Aquele com quem tinha conversado no campo de batalha e passou a ler a Bíblia, encontrou nela explicação para tudo o que tinha passado. E recuperou seu espírito, a reabilitação mais longa e mais difícil.

“Não é a guerra física, mas a espiritual. Eu estava passando os meus valores para aqueles que trabalhavam comigo. Hoje eu quero passar esses valores vivendo para Cristo”, conclui o Sargento.